Antro Positivo é uma revista digital sobre arte, cultura, teatro, políticas culturais e provocação. Foi lançada em 2011 e existe graças principalmente aos ideais e esforços dos editores Ruy Filho e Pat Cividanes.

Ela é linda no design e tem artistas fodas em cada edição, pode conferir. Tem ganhado notoriedade mais fora do que dentro do país, como percebemos surpresos desde 2015 quando artistas de alto calibre pelo mundo começaram a ceder espaço na agenda para entrevistas exclusivas à ANTRO+ — caso de Robert Le Page, Dimitris Papadopoulos, Kronos Quartet, entre muitos.

Print da página em out/2017. Clique para ir ao site.

Mas isso se dá sobretudo pela acuidade intelectual de seu editor não paparicante (coisa que não consegui evitar nesse texto, assumo), que também fica antenado em gente interessante para somar à revista, seja permanentemente, seja em parcerias e intercâmbios com outros jovens e revolucionários coletivos de crítica espalhados pelo Brasil, como a Revista Barril, BA.

A Antro Positivo tem em seu núcleo duro resenhistas oriundos de diversas origens e formações em busca de novas formas de olhar e falar de teatro, sem pretensões nem presunções de ordem cerceante.

Eu, por exemplo, colaborei com a revista de 2011 a 2017 em forma de cobertura de festivais, resenhas de peças teatrais e intérprete em entrevistas internacionais. Sinto uma particular gratificação quando consigo oferecer uma crítica sincera, mas poética e generosa a artistas de teatro que estão começando a trilhar o caminho no desafiador cenário cultural brasileiro. Essa participação já me abriu algumas portas, fico gratíssimo por isso.

Com Márcio Tito Pellegrini Trigo representando a revista no FIT Rio Preto 2017.

Ao final de 2017 decidi me afastar do núcleo até estar disponível e oferecer uma nova participação para Antro+, que demanda e merece. Vida longa a ela!

Como aqui é meu site e quis fazer desse post uma listagem até que curricular, segue a lista e os links e edições em que participei, com reflexões entre tantas e grandiosas outras de meus colegas e amigos da ANTRO+.

Edições Antro Positivo

Ed. 00 (out/11) — Crítica X2 (pg. 52)
Ed. 01 (jan/12) — Crítica X2 (pg. 60)
Ed. 02 (abr/12) — Crítica X2 (pg. 48)
Ed. 03 (ago/12) — Crítica X3 (pg. 60)
Ed. 04 (out/12) — Crítica X2 (pg. 160)
Ed. 07 (ago/13) — Contaminações: Festival de Avignon (pg. 144)
Ed. 11 (ago/14) — Diálogo X2 (pg. 120)
Ed. 12 (dez/14) — Diálogo X2 (pg. 28) + Entrevista Kronos Quartet (intérprete) (pg. 100)
Ed. 13 (mar/15) — Diálogo X2 (pg.160)
Ed. 14 (fev/16) — Diálogo X2 (pg. 192)
Ed. 15 (set/16) — Diálogo X3 (pg. 88)

Caderno Especial MITsp 2016 — pg. 42, 46, 54, 72, 84
Caderno Especial Polônia (2016/2017) — pg. 12 e XX
Transversal MITsp 2017 — pg. 30, 52, 70, 90
Mapeando SP — Composição Julgadora

Cobertura em Festivais Teatrais

FIT Rio Preto (2017)
MIT-sp (2017, 2016, 2015)
Satyrianas-sp (2016, 2015, 2014, 2012, 2011)
Festival de Avignon (2013)

Links das coberturas e edições:

Link das edições: https://www.antropositivo.com.br/edicoes

Link dos cadernos especiais: https://www.antropositivo.com.br/transversal e https://www.antropositivo.com.br/especiais

MITsp 2017: https://www.antropositivo.com.br/blog/tag/mitsp

Satyrianas 2016: https://www.antropositivo.com.br/blog/date/2016-11/page/1

Outras resenhas livres: https://www.antropositivo.com.br/blog/tag/claucioandre

FIT Rio Preto 2017: https://www.antropositivo.com.br/single-post/2017/07/07/FIT-Rio-Preto-2017

Cadernos e anotações para a reflexão sobre o Festival de Avignon de 2013.

#antropositivo #cultura #arte #pensamento #teatro